Advertisements

A TUA LETRA

Negócios
Bom dia, boa tarde ou boa noite
Depende da hora que encontrarem esta carta, aqui vou
E se encontraram a carta é porque cá já não estou
E assinei este testemunho a contar o que é que se passou
Deixei ao abandono a minha esposa e três filhos
Que a vida não lhes seja uma rosa cheia de espinhos
Que não consigam sobreviver sem o chefe de família
E que não lhes seja retirada a casa, o terreno e a mobília
Minha história como polícia têm mais de 20 anos
Que exerci com dedicação e zelo do meu trabalho
Ser policia sempre foi o meu sonho de criança
Brinquei se polícia e ladrão toda a minha infância
Fiz um curso de formação e vive momentos de alegria
Mas também de grande tensão e de muita nostalgia
E depois da formação o momento de glória
Vestir aquela farda não me saia da memória
A emoção que eu senti logo no meu primeiro dia
E o olhar de orgulho de toda a minha família
Olhar de admiração dos meus amigos e vizinhos
Aquela sensação me acompanhou pelo caminho
E com a farda veio junto a pressaão do dia-a- dia
Na vida real senti o drama de ser polícia
Ainda de madrugada jáposicionado na rua
Queimando com muito sol ou molhando com a chuva
Passei mais de 10 horas caminhando no asfalto
Senti o alcatrão ferver debaixo dos meus sapatos
Vocês não têm noção deo que é trabalhar nas ruas
Chegar a casa com ospés carregados de poeiras

[Coro: Vekina]
Meu percurso, só Deus é que sabe
Por isso não adianta me julgar ou condenar
A minha caminhada é longa
Mas para ti, me olhas com desrespeito
Por isso eu carrego essa cruz
E neste drama, pior é a vossa ingratidão
Pensarem que eu só vos queria passar a mão
Que queria vosso dinheiro
Que não tinha coração
E ainda gritavam na rua “aquele polícia é ladrão”
Ladrão? Eu que trabalhei com zelo
Apanhei marginais, prendi bandidos em duelos
Tenho na folha de serviço crimes resolvidos
Medalhas de honra, recomendações e elogios
Respeito e consideração, isso eu nunca senti
Nunca um parabéns pelo bom trabalho exercido
Nunca um obrigado por vos garantir a paz
Nunca um valeu senhor polícia, até mais
Nunca ninguém parou para comigo conversar
E cruzamos várias vezes alí no mesmo lugar
Nunca perguntaram se eu tinha o meu filho doente
Se tinha dinheiro para o hospital ou porquê que eu estava ausente
Vocês nunca imaginaram que eu ao tirar a farda
Não era diferente do outro homem que trabalha
Que sobrevivia com pouco para ajudar a sua família
Que sofria para apanhar transporte fazia bicha
També fiquei apertado em chapas e “My Loves”
Esperei o machimbombo que fazia a última volta
Muitas vezes apertado e me pisavam o pé
Cheguei a acreditar que Deus testava a minha fé
E já cheguei a casa e não apanhar jantar à mesa
Sem vitaminas, o que me deixava em pé eram as rezas
Colocava os joelhos no chão a cada refeição
Agradecia pelo prato de arroz e de feijão

[Coro: Vekina]
Meu percurso, só Deus é que sabe
Por isso não adianta me julgar ou condenar
A minha caminhada é longa
Mas para ti, me olhas com desrespeito
Por isso eu carrego essa cruz
Também já me faltou dinheiro para fazer a matrícula
O dinheiro do caril, do chapa pra escola dos miúdos
Já fiquei sem energia, tinha que arranjar carvão
Já fiquei sem um tostão sequer para comprar o pão
Nesta profissão vivemos entre a vida e a morte
Um distintivo, uma arma faz parte do lote
E tive noites de pesadelo que a Deus eu pedi
Nunca apertar o gatilho a um ser igual a mim
Mas contra todos os meus desejos esse dia chegou
Escala pra fazer patrulha noturna me calhou
Segui o mesmo trajeto, mas desta vez foi diferente
Parece que imaginava o que é que me vinha pela frente
Dois meliantes cruzaram o meu caminho e eu senti
O cheiro de criminalidade ao passarem por mim
Usei do meu poder e dei ordem de parada
(Identificação se faz favor)
O silêncio mais silencioso preencheu a estrada
E na escuridão da noite o trajeto duma faca
Um animal em perigo que pra se defender ataca
Tentei me desviar, mas a manobra foi fraca
Depois disso, eu não senti mais nada

[Fala]
Ajudem, ajudem, alguém me ajuda! Socorro, ai meu Deus, socorro! Chamem a policia,
socorro, um polícia foi esfaqueado! Alguém me ajuda, ambulância, socorro!]

[Coro: Vekina]
Meu percurso, só Deus é que sabe
Por isso não adianta me julgar ou condenar
A minha caminhada é longa
Mas para ti, me olhas com desrespeito
Por isso eu carrego essa cruz

[Fala]
Na verdade o que eu deixo é um simples recado
Não é preciso um a vida inteira ou ainda vinte anos
Para vocês verem a realidade dos factos
Basta apenas olharem para o lado
Lá estará um colega meu faça sol, faça chuva
Apenas um polícia em serviço nesta luta
Para ajudar que precisa cumprindo a labuta
Que sem exitar cumpre o dever com toda a conduta
Bom dia, boa tarde ou boa noite
Depende da hora que encontrarem esta carta, aqui vou
E se encontraram a carta é porque cá já não estou

Escrito por Dario Macucule

Advertisements

PARTILHA

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

PUBLICIDADE

VIDEO